22 de novembro de 2016

A mulher sábia de Abel

Muitas mulheres nas escrituras destaca-se pela sabedoria, uma delas, é a mulher sábia de Abel. Ela viveu numa cidade na fronteira norte de Israel, é identificada apenas como uma “mulher sábia” (2 Samuel 20.16), que agiu rapidamente para salvar sua cidade.
A mulher sábia de Abel

Teddy Roosevelt disse, certa vez, que “nove décimo da sabedoria consiste em ser sábio na hora certa”. Depois que a poeira assenta, que a tempestade passa, que a ação termina, geralmente é tarde de mais para a sabedoria operar suas maravilhas.

As histórias triste de Bate-Seba e de Tamar concentraram-se no declínio da casa de Davi. Absalão, terceiro filho de Davi, veio mais tarde a rebelar-se e foi morto numa batalha pelo trono. Em meio a essa instabilidade política, um agitador chamado Seba, da tribo de Benjamim (tribo de Saul), tentou ainda outra revolta. Mas Joabe, comandante do exército de Davi, perseguiu Seba até Abel-Bete-Maaca, ao norte. Joabe havia construído rampas para derrubar os muros de Abel e sufocar a rebelião. Era evidente para os moradores que toda cidade seria destruída, a não ser que alguém agisse rapidamente a fim de preservar a paz.

De repente, uma mulher subiu ao muro de Abel e gritou:

Ouvi, ouvi; dizei a Joabe: Chaga-te cá, para que eu fale contigo (2Samuel 20.16). Eu sou uma das pacíficas e fiéis em Israel; e tu procuras destruir uma cidade e uma mãe de Israel; por que, pois, devorarias a herança do Senhor? (v. 19), desafiou ela a Joabe. Longe, longe de mim que eu devore e destrua!- respondeu Joabe. A coisa não é assim; porém um homem da região montanhosa de Efraim, cujo nome é Seba, filho de Bicri, levantou a mão contra o rei, contra Davi; entregai-me só este, e retirar-me-ei da cidade.

Então disse a mulher a Joabe:

Eis que será lançada a sua cabeça pelo muro (v. 20-21).

Os homens desta história parecem comportar-se apenas em termos convencionais: mobilizar o exército, construir uma rampa de acesso, esmagar violentamente o muro da cidade, sufocar a rebelião. Mas a mulher sábia de Abel procurou outra solução, aquela que manteria a paz e que pouparia vidas dos dois lados. Por agir com sabedoria, intercedendo a favor de seu povo, vidas inocentes de ambos os lados dos muros da cidade foram salvas.

Seu caráter: Em vez de esperar passivamente que alguém salvasse sua cidade, ela teve sabedoria e coragem para agir com rapidez e decisão.

Seu sofrimento: Que sua cidade, embora fiel ao rei, fosse cercada pelo exército dele por ter sido infiltrada por um líder rebelde.

Sua alegria: Interceder com sucesso pela cidade evitando, assim, a destruição de muitos inocentes.

Para saber mais sobre essa mulher tão sábia leia 2 Samuel 20.14-22. Esse texto foi tirado do livro Elas –pg. 191-192. O livro Elas fala das histórias de todas as mulheres da Bíblia, como elas viviam, suas frustrações, suas conquistas e outros relatos que revelam o mistério dessas mulheres que são exemplos de fé e coragem.

Leia a resenha do livro aqui.



4 comentários:

  1. Oi Val, gostei do post!

    Essa é uma das mulheres da escritura que é pouco falada... mas que merece nossa atenção. Obrigada por compartilhar conosco. Bjim

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante! Realmente, muito sábia! Adorei o post! *-*


    www.umaloucaporjesuscristo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Fonte: livro - Elas 52 mulheres que marcaram a história do povo de Deus. Ann Spangler and Jean Syswerda. Mundo Cristão. esse livro tinha saído de linha.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ela é muito importante para mim.