27 de outubro de 2015

É Jesus que está tocando violino - Max Lucado

Convido você a pegar uma xícara de café com uns biscoitinhos, sentar-se em um lugar confortável, tentar se desconectar de tudo ao seu redor para ler e refletir  nesta mensagem que Max Lucado escreveu no seu livro: Faça a vida valer a pena.


Às 7H51 de janeiro de 2007, um jovem músico se posicionou encostado em uma parede de uma estação de metrô em Washington, D.C. Ele vestia jeans, camiseta de manga longa e um boné de beisebol do Washington Nationals. Abriu a caixa do violino, pegou o instrumento, atirou alguns dólares e umas moedas na caixa, para servirem de chamariz, e começou a tocar.

Em 43 minutos, ele tocou seis músicas clássicas. Durante esse tempo, 1.097 pessoas passaram por ele. Deram-lhe no total US$ 32,17 em dinheiro. Das 1.097 pessoas, sete- apenas sete- pararam mais do que sessenta segundos. E, Das sete, uma -só uma- reconheceu o violinista Joshua Bell. Três dias antes dessa apresentação no metrô organizada pelo jornal Washington Post, Bell lotou a Symphony Hall de Boston, onde o ingresso para sentar em um lugar razoavelmente bom custa cem dólares. Duas semanas após o experimento, ele tocou para uma plateia em Bethesda, Maryland, sendo que só havia lugares em pé. Talentos como Joshua Bell podem fazer jus a mil dólares por minuto. Naquele dia, na estação de metrô, ele nem chegou a ganhar o suficiente para comprar um par de sapatos baratos.

Você não pode culpar o instrumento. Bell tocou um Stradivarius feito no período áureo da carreira de Stradivari. Vale 3,5 milhões de dólares. Você não pode culpar a música. Ele tocou lindamente uma composição de Johann Sebastian Bach que Bell define como "uma das maiores realizações de algum homem na história".

Mas quase ninguém reparou. Nada majestoso era esperado naquele contexto. Um engraxate de um lado, um quiosque do outro. Pessoas comprando revistas, jornais, barras de chocolates e bilhetes de loteria. E quem tinha tempo? Era um dia de trabalho. Aquela era a mão de obra de Washington. Funcionários públicos, principalmente, a caminho de reuniões de orçamento e sessões de administração. Quem tinha tempo para reparar na beleza em meio a tanta ocupação? A maioria não tinha.

Muitos um dia ainda vão perceber o que não perceberam. Da perspectiva divina, vamos olhar para trás -para estes dias ocupados e confusos- e perceber: Era jesus tocando violino. Era Jesus vestindo roupas esfarrapadas. Era Jesus no orfanato, na cadeia, no barraco feito de papelão. A pessoa que precisava da minha ajuda era Jesus.

Há muitas razões para ajudar as pessoas necessitadas.
"A benevolência é um bem para o mundo."
"Todos nós estamos flutuando no mesmo oceano. Quando a maré subir, beneficiará a todos."
"Livrar alguém da pobreza é expandir o potencial dessa pessoa como pesquisador, educador ou médico."
"Ao reduzir a pobreza e a doença, estamos reduzindo as guerras e as atrocidades. Pessoas saudáveis e felizes não machucam umas às outras.

A compaixão tem uma dúzia de advogados.
Mas para o cristão nenhuma razão é maior do que esta: quando amamos os necessitados, estamos amando Jesus. É um mistério que está além da compreensão da ciência, uma verdade que sobrepuja as estatísticas. Mas é uma mensagem que Jesus deixou clara: quando os amamos, amamos a Jesus.

Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos foi a mim que fizeram. Mateus 25:40


Joshua Bell é um dos melhores violinista da atualidade, começou tocar com 4 anos de idade. Toca com um dos violinos mais antigo e mais caro do mundo. Já foi contemplado com prêmio importante da música clássica. Tocou a trilha sonora do filme: O violino vermelho que foi o ganhador de oscar. Ele também já fez aparições em outros filmes sobre o poder da música. Mas como Max Lucado escreveu no seu livro naquele dia ninguém o viu, ele era só mais um no meio da multidão.

O texto me fez refletir no quanto as vezes nossa vida é tão corrida que esquecemos dos outros. Só olhamos para nós, só pensamos em nós. Deixamos de apreciar, de aproveitar a oportunidade que temos para ajudar, para ouvir, para se colocar no lugar do próximo.

Isso acontece por que em algum momento deixamos de lado a linda mensagem de amor que Jesus ensinou. Com isso perdemos a oportunidade de fazer a nossa vida e avida de outra pessoa ter mais sentido. Mas que possamos reconhecer nossos erros e não só hoje mas todos os dias, olhar e demonstrar amor a quem está do nosso lado.

Encontrei uma matéria que fala do acontecimento com o músico Joshua Bell aqui

Este é um pequeno texto de um excelente livro que eu indico para quem deseja fazer uma ótima leitura.

Beijoos. Um lindo dia pra vocês.

5 comentários:

  1. Nossa parei no tempo lendo essa linda história...eu amo os livros do Max Lucado...esse eu ainda não tenho.
    Muito linda a reflexão..Temos que aprender a valorizar as pessoas independente do lugar em que ela esteja...
    Amei o post..
    Um abraço!!! Fica com Deus.
    http://novembrolilas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que história linda!
    acredito muito em tudo isso, e sei que o ser humano faz pré julgamentos!
    Lindo demais!
    bjos,amiga!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  3. Linda esta história !! Fiquei apaixonada pelo post <3

    http://blogdameninnadefe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Os livros do Max Lucado sempre nos trazem ótimas e necessárias reflexões e esta sem dúvida é uma delas!

    Beijos

    karinanopaisdasmaravilhas.com

    ResponderExcluir
  5. Que história maravilhosa, apaixonada por este post.

    Beijos
    http://pimentasdeacucar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ela é muito importante para mim.