22 de janeiro de 2015

Lidando com nossas emoções

   Olá meninas bom dia! faz tempo que escrevi devocionais por aqui, ontem estava pesquisando temas e assuntos que falassem do nosso cotidiano, da nossa vida de mulher, esposa, filha e para as que são mamães, daí fui em um dos meus blogs favoritos o "Mulheres piedosas" lá tem vários assuntos maravilhosos que eu amo e sempre tem me ajudado  por isso depois de ler varias vezes este post decidi compartilhar, espero que ele possa ajudar vocês, pois saber controlar as emoções é uma virtude veja o que o sábio Salomão escreveu.
 A discrição do homem fá-lo tardio em irar-se, e sua glória está em esquecer ofensas. Provérbios 19.11


“Oh, a devastação que é provocada, a tragédia, a miséria e desgraça que encontramos no mundo simplesmente porque as pessoas não sabem como lidar com suas emoções!” D. Martyn Lloyd-Jones
Meus sogros têm um cachorro chamado Bailey que o meu filho de 4 anos, Jack, ama colocar na coleira e puxar pelo quintal. Pobre Bailey, tão paciente! Está na cara que ele preferia estar cochilando no tapete; mas que escolha ele tem? Ele está na coleira e o Jack está correndo em círculos. Então o Bailey corre em círculos.
Quando se trata dos meus sentimentos inconstantes (que me atingem certa época todos os meses) eu às vezes me sinto como o Bailey na coleira. Muitas vezes eu sigo meus sentimentos como que correndo em círculos, esquecendo que eu sou o dono e a coleira deveria estar nos meus sentimentos, não em mim.
Se me sinto “irritável” pode ser que eu diga coisas desagradáveis. Se me sinto deprimida, talvez eu chore. Se me sinto com medo, eu posso me retrair. Se me sentir desanimada, minha vontade é de me encolher e voltar a dormir. Obviamente eu não preciso frequentar a escola da obediência! Não, eu preciso lidar com meus sentimentos em vez de deixar os meus sentimentos me dominarem. É a “saída número 1″ do labirinto hormonal.
D. Martyn Lloyd-Jones fala no seu livro (que recomendamos) Depressão Espiritual:
“Evite o erro de se concentrar demais em suas emoções. Acima de tudo, evite o terrível erro de colocá-las no centro… Se você as colocar ali, estará se condenando à infelicidade porque não está seguindo a ordem que o próprio Deus estabeleceu… Afinal o que temos na Bíblia é a verdade; não é um estímulo emocional, não é algo destinado primariamente a nos dar uma experiência jubilosa. É antes de tudo, verdade, e verdade é algo dirigido à mente, o dom supremo de Deus ao homem; e é quando compreendemos a verdade e nos submetemos a ela que as emoções se seguem.”
É compreendendo e nos submetendo à Verdade que colocamos uma coleira nos nossos sentimentos e eles, então, devem nos seguir. A princípio eles nos seguirão lentamente, mas no final, quando colocarmos a Verdade no centro de nossas vidas, nossos sentimentos entrarão na linha. Qual é a Verdade? D. Lloyd-Jones novamente:
“Ponham no centro o Único que tem o direito de estar ali, o Senhor da glória, que tanto amou a vocês que foi à cruz e levou sobre Si o castigo e a vergonha dos seus pecados, e morreu por vocês. Busquem a Ele, busquem a Sua face e todas as demais coisas lhes serão acrescentadas”.
Somente a Verdade do Evangelho é mais poderosa que nossos sentimentos instáveis.
Então, não importa como seus hormônios estão enfurecidos hoje ou quanto o “Dia dos namorados” possa fazê-la sentir-se só, desapontada ou deprimida. Ponha no centro o Único que tem o direito de estar lá: nosso Salvador! E diga aos seus sentimentos que se curem.

*  Este é artigo foi publicado originalmente no site GirlTalk traduzido e publicado em português conforme autorização das autoras do site. Ps. Esse texto já foi traduzido para o português anteriormente pelo site Bom Caminho Mulher, a tradução aqui postada é uma revisão da tradução postada no referido site.
** Nicole Whitacre é esposa e mãe de quatro filhos. Ela é filha de C.J. e Carolyn Mahaney e é co-autora dos livros Girl Talk (publicado em português pela Editora Monergismo sob o título Papo de Garota), Shopping for Time e True Beauty. Ela tem um blog com sua mãe e irmãs no GirlTalk, um blog sobre a feminilidade bíblica.


*** Tradução: Tradução: Priscila Bernardi Heyse e Ester Bernardi Marafigo
**** Revisão: Bruna Bugana



Fonte: http://www.mulherespiedosas.com.br/nossos-sentimentos/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querida (o) sua opinião ela é muito importante para mim, conte-me o que achou da postagem. Se você gostou compartilha com suas amigas, assim mais pessoas serão alcançadas.
Beijos.